O jogo é uma sátira da dinâmica de poder, pressão e influência, que dominam a vida de uma sociedade democrática. Cada jogador representa um mais ou menos obscuro grupo de interesses que através de manipulação política, social e económica, tenta ganhar poder, votos e dinheiro.

Ganha o jogador que obtiver mais pontos criando a sua teia de influências, gerando consensos políticos, vencendo eleições, acumulando dinheiro e títulos de depósito em paraísos fiscais (offshores).
  • 2 - 4
  • 10 +
  • 30' - 45'
  • Easy
  • Authors / Game design:  Carlos Mesquita, Pedro A. Santos
  • Graphic design:  Filipe Preto
  • Illustrations:  Vasco Gargalo, Nuno Saraiva, Filipe Preto
  • Development:  Carlos Mesquita, André Pereira, Pedro A. Santos, Marco Vala

As cartas de Dinheiro que são distribuídas a cada jogador no início do jogo vêm da pilha do Tesouro?
Sim. Primeiro forma-se a pilha do Tesouro com as cartas de Dinheiro (o número de cartas na pilha depende do número de jogadores). Depois distribuem-se 2 cartas dessa pilha a cada jogador.

No início do jogo, após cada jogador escolher o seu Líder, o que acontece às cartas dos Líderes que não foram escolhidos?
Os Líderes que não foram escolhidos não são usados no jogo e podem ser arrumados na caixa.

O que se faz quando não há dinheiro suficiente no Tesouro numa ação de Rendimento?
O jogador pode comprar na mesma Títulos de Offshore se o valor do seu rendimento mais o dinheiro que tem na mão forem suficientes. Se não forem suficientes, o jogador retira o que conseguir do Tesouro e o restante não é recebido.
Quando um ataque fica empatado a vitória é do atacante ou do defensor?
Em caso de empate ganha o defensor.

O que acontece quando se empata numa eleição?
Não é eleito Governo (a carta de Governo sai fora do jogo). Os jogadores empatados com mais votos recebem uma carta de Grupo (ou 2 Mega Euros) cada um. Os outros jogadores não recebem nada.

Na Campanha Eleitoral, os jogadores devem colocar na mesa as cartas de Grupo e de Dinheiro que vão usar na campanha simultaneamente?
Não, as cartas devem ser colocadas pela ordem normal, começando pelo primeiro jogador ou Governo. O jogador deve anunciar o número de cartas que está a colocar e colocá-las com a face para baixo.

Como funcionam as Eleições Intercalares do Evento “Voto de Confiança”?
- Todos os jogadores anunciam os votos que têm na mesa.
- O vencedor é o jogador com mais votos na mesa e recebe a carta do Evento (Governo).
- A próxima ronda começa com esse jogador, que é Governo.

O que se faz quando não há dinheiro suficiente no Tesouro para pagar a um jogador?
O jogador recebe o dinheiro disponível e o restante não é recebido.

O que acontece quando há vários jogadores que têm de receber dinheiro do Tesouro e não há dinheiro suficiente?
Todos os jogadores em causa devem receber o mesmo valor. Se, por exemplo, há 2 jogadores que têm de receber 2 Mega Euros cada um e só existem 3 Mega Euros no Tesouro, cada um dos jogadores recebe apenas 1 Mega Euro ficando o restante 1 Mega Euro no Tesouro.

Para o limite das 6 cartas na mão, contam só as cartas de Grupo ou também as cartas de Dinheiro?
Contam todas as cartas na mão (cartas de Grupo e cartas de Dinheiro).

Quando um jogador tem mais do que 6 cartas na mão no final do seu turno pode descartar qualquer carta?
Sim, pode descartar qualquer carta da mão (cartas de Grupo ou cartas de Dinheiro) até ficar com 6 cartas na mão.

O que acontece às cartas de Grupo que são descartadas?
Ficam numa pilha de cartas descartadas e, quando a pilha de Grupos se esgotar, são baralhadas e passam a ser a pilha de grupos.

O que acontece às cartas de Dinheiro que são descartadas?
Voltam para a pilha do Tesouro.

O Poder do Líder conta no final do jogo, para os pontos de vitória?
Não.

Vem aí a Troika! no boardgamegeek.com

Os vídeos do jogo Vem aí a Troika no Youtube